ImóvelInvestimento

Perspectivas do mercado imobiliário para 2018

Por 25 de dezembro de 2017 Nenhum Comentário
perspectivas-do-mercado-imobiliario-para-2018

Depois de um período de crise, as mudanças começam a ser fortemente desejadas para 2018. Neste ano o mercado já começou a reagir, a comercialização de unidades residenciais aumentaram em 54,5% comparado a fevereiro do mesmo ano e o número de consórcios cresceu 19,2% no primeiro quadrimestre.

Em paralelo a estas melhorias, o governo federal também anunciou novas regras para o Programa Minha Casa Minha Vida, passando a atender também municípios com contingente populacional inferior a 50 mil habitantes. São pequenas mudanças que, aos poucos, vão oferecendo uma segurança a mais para o mercado.

Perspectivas para o mercado imobiliário em 2018

Já para o próximo ano as perspectivas continuam melhorando, mas ainda sim contam com um crescimento gradativo e bem lento. Em tempos de crise, o mercado imobiliário é um dos primeiros a ser atingidos e um dos últimos a se recuperar, afinal o consumidor fica mais cauteloso e evita investimentos que contam com grandes aportes.

Um fator que influencia na melhora é a redução da taxa de juros básicos da economia para 8,25%, o menor nível contabilizado desde 2013. Isso gera uma maior atratividade por parte do consumidor, que pode aumentar as aplicações na poupança, ampliando assim o acesso à créditos imobiliários.

A taxa Selic, por sua vez tem uma previsão de queda de 8% no próximo ano, outro fator que impacta imediatamente no setor financeiro. É importante ressaltar que todas essas projeções não estão somente associadas economia, mas também a estabilidade do cenário político.

Em junho de 2017 a Caixa Econômica Federal suspendeu o crédito Pró-Cotisa, que depois do Minha Casa, Minha Vida é o crédito mais barato do mercado para a compra de imóveis residenciais. A previsão é que ele só retorne mesmo em 2018, podendo aumentar, inclusive, a procura por parte dos compradores.

Inflação

De maneira geral, o aumento da inflação diminui o poder de compra do consumidor, além é claro, de influenciar na taxa de desemprego do país. No final de 2017 a expectativa da inflação oficial é de 3,03%, já para o próximo ano os valores giram em torno de 3,95%.

Fique de olho no mercado

Se o seu objetivo é comprar a casa nova em 2018 é preciso ficar atento para os próximos acontecimentos relacionados ao mercado econômico. Além das mudanças, é interessante acompanhar alguns índices que influenciam diretamente o mercado imobiliário. São eles:

  • IGP-M: Índice Geral de Preços do Mercado
  • INCC: Índice Nacional de Custo da Construção
  • CUB: Custo Unitário Básico da Construção Civil
  • TR: Taxa Referencial de Juros

Ficar de olho nesses índices é de extrema importância para evitar defasagens de valor e problemas na hora de pagar o seu imóvel.

Hoje o mercado oferece inúmeras possibilidades para adquirir o imóvel próprio, basta um pouco de planejamento e paciência. Tente conciliar, da melhor forma, seus gastos com uma poupança de reserva, e na hora de tomar a decisão de compra esteja precavido, olhando estas orientações do mercado para 2018.

Que tal começar a pesquisa agora mesmo e dar uma olhada nos imóveis disponíveis que cabem no seu bolso?

Whitepaper Scenarium