ImóvelPlanejamento Financeiro

IGP-M, INCC, CUB: descubra como todas essas siglas influenciam na compra do seu imóvel

Por 16 de janeiro de 2017 4 Comentários
IGP-M, INCC, CUB: descubra como todas essas siglas influenciam na compra do seu imóvel

Na hora de planejar e comprar um imóvel, você deve levar em conta diversos itens, como necessidade da sua família, localização, segurança, orçamento, pagamento e as siglas IGP-M, INCC, CUB e TR. Você já deve ter lido ou ouvido falar delas diversas vezes, mas sabe o que significam esses índices? E mais ainda: como eles influenciam a compra do seu imóvel? Fique tranquilo, hoje vamos falar um pouco mais sobre isso.

# Índices

No geral, essas siglas referem-se a indicadores que representam uma análise da situação financeira de determinada categoria, levando em consideração fatores que a influenciam, com a inflação, por exemplo, e que incidem sobre a parcela do seu imóvel.

A inclusão desses indicadores no seu financiamento, ou até mesmo contrato de locação, serve para evitar possíveis defasagens de valor que ocorrem no período de pagamento, conforme as mudanças no cenário econômico. Conheça um pouco mais sobre cada uma delas:

# IGP-M

O Índice Geral de Preços do Mercado é o indicador de movimento dos preços calculado mensalmente pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e divulgado no final de cada mês de referência. Ele registra a inflação de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais.

Atualmente, o IGP-M é utilizado para correção dos contratos de compra e locação de imóvel, aplicado sobre as parcelas com vencimento após o período de obras do empreendimento, devidas diretamente à incorporadora.

# INCC

Também calculado pela FGV, o Índice Nacional de Custo da Construção apura a evolução dos custos no setor da construção, um dos termômetros do nível de atividade da economia. É a referência para reajuste de contratos de compra e venda de imóveis. O indicador é calculado a partir das variações dos custos das construções, como materiais e equipamentos, serviços e mão-de-obra.

Na compra de um imóvel na planta, por exemplo, a cada mês, o INCC vai incidir sobre todo o saldo devedor do comprador.

[ Leia mais: Das modalidades de financiamento ao uso do FGTS: Descomplicando processos burocráticos ]

# CUB

O Custo Unitário Básico da Construção Civil é um dos índices mais específicos para atualizar os contratos de imóveis que se encontram em fase de construção, servindo como parâmetro na determinação dos custos de cada um deles.

Publicada mensalmente, a evolução do CUB/m² demonstra a evolução dos custos das edificações de uma forma geral, garantindo ao comprador um parâmetro comparativo à realidade dos custos. Ele é utilizado como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de apartamentos em construção e até mesmo como índice setorial.

# TR

A Taxa Referencial de Juros é aplicada nos contratos de crédito imobiliário pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH). A TR é o índice que corrige o saldo devedor das contas de poupança e das contas vinculadas do FGTS.

A dica que fica é: antes de fechar um negócio, fique de olho nos índices financeiros aplicados no acordo e como eles podem impactar no valor que você pagará mensalmente pelo imóvel. A Caixa Econômica tem disponível um arquivo com termos que você deve conhecer para contratar um financiamento imobiliário.

Ficou claro para hora o que é cada um desses índices? Compartilhe com a gente nos comentários.

Join the discussion 4 Comments