Planejamento Financeiro

Dinheiro: uma outra maneira de lidar com ele

Por 27 de janeiro de 2016 Nenhum Comentário
dinheiro-maneira-de-lidar-com-ele

Em uma sociedade tradicionalmente consumista, somos incentivados desde pequenos a querer mais ininterruptamente. Desse estímulo, nasce o anseio por maiores cargos, maiores salários e maiores desejos. É como se o mundo fosse uma grande pista de corrida de carros. Que vença o melhor!

O grande problema é que comumente a vontade não corresponde à realidade. Então, a busca se torna frustrante, nos enfiando em um buraco sem fim de desejos não cumpridos. Materializamos a felicidade para que ela se torne palpável e, consequentemente, alcançável. Mas ela nunca chega, nunca se concretiza. Por quê? O nosso post Dinheiro pode fazer você feliz? explica melhor essa sensação de realização inexistente.

Em geral, conselhos sobre dinheiro procuram quase sempre responder à questão: como posso ter mais dinheiro? Dezenas de sugestões de como aumentar a sua riqueza, arranjar um emprego com melhor salário etc. Ele parte do princípio que já sabemos quanto precisamos (sempre mais) e por quê. No entanto, esta pergunta deveria ser feita depois de outra mais importante: quanto realmente preciso para viver e para quê?

Preocupações com dinheiro vem quase sempre de questões mais complexas. Nunca faremos progresso em lidar com elas se não identificarmos que se originam de um conjunto oculto de fatores. E tais fatores são sobre nossos próprios valores, visão de mundo e estilo de vida. A relação com dinheiro abrange tanto psicologia quanto economia, é tanto sobre a alma quanto sobre a conta bancária. Sendo assim, a maneira como lidamos com ele diz muito sobre nós e o que devemos mudar. Aqui estão alguns pontos importantes para serem colocados em prática imediatamente:

Reconheça suas próprias frustrações e desejos

A primeira tarefa para aprender a lidar de um jeito menos desesperador e mais consciente com o dinheiro é reconhecer nossas próprias preocupações. Depois de identificá-las, não adianta tentar resolvê-las abordando a quantidade de dinheiro, não é a melhor estratégia. O segredo é analisar a sua relação com dinheiro e os sentimentos que você tem sobre isso.

Entenda o dinheiro como um ingrendiente

Dinheiro é prioritariamente um meio de troca, um instrumento de apoio para a realização de projetos ou desejos. Além de tudo, ele é abstrato e neutro. Praticamente qualquer coisa pode se tornar dinheiro e o dinheiro pode se tornar praticamente qualquer coisa. Como já falamos em “Dinheiro pode fazer você feliz?”, a maneira como ele é usado pode causar mudanças positivas ou sofrimento. Parece pequeno pensar assim, mas isso é extremamente importante, porque levanta duas grandes perguntas: o dinheiro é um meio para quê? Como ele pode ser usado de forma eficaz para se alcançar esse fim?

Consumo Vs. Felicidade

Sem dúvidas, nossa ilusão sobre o dinheiro não é acidente. Há um grande investimento corporativo em publicidade para nos enganar sobre a relação entre o consumo e a felicidade. O psicólogo Daniel Gilbert, que escreveu o livro Stumbling on Happiness, afirma que economias atrelam o seu crescimento ao  fato das pessoas acreditarem na ilusão de que a produção de riqueza irá torná-las felizes. Economias avançam quando as pessoas se esforçam, mas elas o farão apenas pela própria felicidade, então é essencial que a maioria acredite erroneamente que produção e consumo são rotas para o bem-estar. Quebre esta lógica e evite comprar por impulso.

Além disso, há maneiras de prosperar sem abrir mão do consumo. A chave está na maneira como você lida com o dinheiro, o que falamos aqui, e em como você enxerga a sua real necessidade x desejo em relação aos bens materiais. Fique ligado no próximo post!

Quer saber sobre como se organizar financeiramente para comprar o seu imóvel? Confira a nossa série de posts sobre Planejamento Financeiro ou assine nossa newsletter para não perder outros artigos.

Qual o tamanho ideal de imóvel para a sua familia